Patrocinado por:

O caminhoneiro

Compartilhe:

Faça um bom negócio na troca de caminhão

Fique de olho nas finanças e realize a melhor substituição

Para quem vive do transporte de cargas, é fundamental saber o momento ideal para trocar de veículo. E fazer um bom negócio nessa hora depende da avaliação de fatores como o valor do investimento e a necessidade de um caminhão novo que possa dar mais segurança e rentabilidade para o seu trabalho.

Para o gerente de treinamento de vendas e pós-vendas da Mercedes-Benz, Eustaquio Sirolli, a troca do veículo deve ser planejada em função da quilometragem percorrida, levando em conta se novos produtos mais econômicos foram lançados, se o custo operacional previsto na aquisição não está mais sendo atingido. “A categoria e aplicação do produto também influencia no período da troca. Caminhões mais leves, que rodam menos, em geral tem um maior período de troca se comparado com caminhões mais pesados que rodam mais e também são submetidos a um transporte de carga mais elevada”, diz.

Vicente Lopes Garcia Filho, da área de engenharia de vendas da Iveco, explica que, normalmente, os usuários, pela experiência que adquirem na atividade de transporte, passam a conhecer a vida útil média de um motor, de uma caixa de câmbio, de uma embreagem, de um diferencial que são os itens de maior peso. “Assim sendo, deve-se planejar a troca do caminhão quando estiver chegando a quilometragem para substituição desses componentes”, diz.

Olho nas finanças
Na hora de decidir entre um novo e um usado, a escolha se baseia principalmente nas condições financeiras. Mesmo com boas condições de financiamento, é preciso ficar atento se haverá dinheiro para pagar as prestações ou cotas do consórcio. “Não havendo possibilidade de financiar um veículo novo, a alternativa é a aquisição de um usado ou seminovo de boa procedência”, aconselha Sirolli. “Para se decidir entre um novo ou um usado, há que se conhecer as condições de financiamento de ambos (taxas, prazos etc...) e o estado geral do caminhão usado, atentando principalmente às condições do trem de força e qual operação que esse veículo fazia”, aconselha Garcia.

Mas cuidados adotados ao longo do tempo em que se utiliza o caminhão ajudam a aumentar a vida útil. “O conhecimento do produto, suas características e benefícios, manutenção adequada, evitar uso de sobrecarga, revisões periódicas preventivas e preditivas, condições da rota, entre tantos outros fatores, inclusive a forma de condução do veículo, são determinantes no bom uso do veículo, maximizando a sua vida útil”, ensina Sirolli, da Mercedes-Benz. Garcia, da Iveco, também faz um alerta sobre os cuidados com o uso do caminhão. “O excesso de peso jamais deverá ser praticado, pois abrevia a vida útil do caminhão e, o que é pior, coloca em risco a integridade dos usuários das vias, além dos inúmeros transtornos decorrentes de eventuais acidentes”, ressalta.

Cartola – Agência de Conteúdo

Especial para o Terra

Ícone de envelope Enviar por e-mail

Ícone de balão de fala de quadrinho Faça um Comentário

  comentários

Alexandre Ruiz

BOM DIA ! ME CHAMO ALEXANDRE, TRABALHO PELO BANCO PAN (PANAMERICANO) NA CIDADE DE MARILIA-SP , E TENHO VARIOS PRODUTOS DE FINANCIAMENTO E/OU REFINANCIAMENTO. O BANCO PAN ,HOJE TEM EXCELENTES TAXAS,

dasdasda

Replica Uhren - Hier finden Sie die sowie aus Europa. Mit Erfahrungsberichten. Re

FLÁVIO ROSSI

CAMINHÃO WOKS TRUCADO CAÇAMBA

FLAVIO ROSSI

caminhões woks truk caçambado

Paulo Roberto de Abreu Maia

Sou Caminhoneiro a trinta anos não consigo mais fazer negócio com um caminhão novo a base de troca . Meu caminhão é ano 1986 e nenhuma consecionária o quer à base de troca tenho uma imensa difi***ldad

Veja Também

< 1 de 2 >

Resolução mínima de 1024x768 © Copyright 2012, Terra Networks Brasil S/A / Proibida sua reprodução total ou parcial